McGregor é investigado por abuso sexual na Irlanda, diz jornal
27/03/2019 09:04 em ESPORTES

O nome de Conor McGregor está na capa do The New York Times .

O jornal americano informa que o lutador está sendo investigado por abuso sexual na Irlanda. A alegação foi feita em dezembro do ano passado.

McGregor chegou a ser preso e interrogado em janeiro, mas foi liberado. Segundo a publicação de Tariq Panja, as alegações não foram provadas. O jornalista do The New York Times ainda escreve que tentou entrar em contato com o advogado do lutador, em Dublin, mas não conseguiu resposta.

Conor chocou o mundo do MMA e anunciou sua aposentadoria de forma inesperada na madrugada de segunda para terça-feira.

"Fiz minha parte. Não preciso lutar. Estou feito para a vida, minha família está. Mas quero lutar. Vamos ver o que acontece", postou no @TheNotoriousMMA, sua conta oficial no Twitter.

Conor McGregor, após ser derrotado por Khabib Nurmagomedov no UFC 229

© Hans Gutknecht/Digital First Media/Los Angeles Daily News via Getty Images Conor McGregor, após ser derrotado por Khabib Nurmagomedov no UFC 229 

A mulher (que não tem o nome citado durante o texto) que alegou ter sido abusada sexualmente pelo lutador afirmou que o caso ocorreu no Beacon Hotel, em Dublin, Irlanda. De acordo com o The New York Times, McGregor é ocasionalmente convidado para frequentar o lugar e sua última visita teria sido em dezembro.

A mídia irlandesa divulgou o ocorrido no final do ano passado, mas sem citar o nome de McGregor. As leis no país restringem os veículos de informação de identificar indivíduos acusados ​​de estupro, a menos que sejam condenados, o que não aconteceu neste caso.

Um porta-voz do serviço policial da Irlanda, conhecido como o Gardai,não  confirmou a Tariq Panja se McGregor é o suspeito. Em resposta a um pedido de comentário sobre a relação de um "esportista anônimo" com o caso, um jornal irlandês apontou que um homem foi preso no dia 17 de janeiro e libertado sem acusação enquanto as investigações continuam.

McGregor e o UFC não comentaram as alegações. Karen J. Kessler, uma assessora de imprensa do lutador, disse à reportagem do The New York Times que ele é frequentemente alvo de rumores, mas não abordava diretamente a validade da alegação.

"Essa história está circulando por um tempo e não está claro porque veio à tona agora. A suposição de que o anúncio da aposentadoria de Conor está relacionado a isso é absolutamente falsa. Se ele lutar no futuro, deve ser em um ambiente onde lutadores são respeitados por seu valor, sua habilidade, seu trabalho duro e sua dedicação ao esporte", escreveu Kessler, a porta-voz de McGregor.

O Beacon fica a 25 minutos de carro de Crumlin, bairro onde McGregor cresceu. Pessoas familiarizadas com as operações do hotel, falando sob condição de anonimato, disseram ao The New York Times que o astro do UFC esteve no local na noite anterior em que a polícia disse que o incidente ocorreu. Ele reservou a cobertura do hotel, a única suíte de dois cômodos da instalação.

A polícia que está investigando o ataque recuperou evidências do quarto em que McGregor se hospedou e também conseguiu filmagens de câmeras em circuito fechado, de acordo com uma pessoa com conhecimento da investigação.

 

No "Caso McGregor", algumas redações na Irlanda proibiram os funcionários de sequer mencionarem seu nome em conexão com o ocorrido. A ideia seria chamar o lutador de "esportista famoso", segundo um profissional de um dos jornais nacionais do país.

FONTE: POR ESPN.com.br   FOTO: ESPORTE FERA

 
COMENTÁRIOS