Cantor blumenauense é selecionado para o Prêmio Grão de Música 2019
30/09/2019 12:45 em Música

Conquista, emoção e reconhecimento nacional.

O cantor e compositor blumenauense John Mueller é um dos 15 artistas brasileiros selecionados ao Prêmio Grão de Música 2019, que destaca obras de todas as regiões do país.

Os contemplados receberão um troféu criado pelo artista visual Elifas Andreato, em cerimônia aberta ao público, no dia 19 de outubro no Centro Cultural Olido, em São Paulo e participarão da coletânea Grão de Música, álbum digital que será disponibilizado para o público.

John Mueller é o único catarinense a participar da coletânea Grão de Música 2019, reconhecido e selecionado por toda a sua trajetória de trabalho artístico e a canção Maré Rasa (Canção de Partida), letra de Gregory Haertel e de sua composição, representará o artista na coletânea.

O cantor começou a frequentar os palcos catarinense aos 17 anos, e em 2014 resolveu investir em sua carreia solo. Em 2015, lançou seu primeiro álbum, e em 2017, participou do II Festival Internacional de Cantautores de Costa Rica. Em fevereiro, de 2018, John Mueller lançou o segundo álbum, Na Linha Torta e no mesmo ano, foi indicado ao Prêmio Profissionais da Música nas categorias “Autor" e "Cantor", e, em 2019, na categoria “Autor”.

Em 2018 ainda, fez turnê pela Argentina e foi vencedor da categoria Melhor Cantor, no Prêmio da Música Catarinense 2018. E agora, em outubro de 2019, o artista receberá o Prêmio Grão de Música, em São Paulo.

Confira o nosso bate-papo com o artista:

Como foi receber a notícia de que você faz parte dos 15 artistas brasileiros selecionados para compor obra na premiação do Grão de Música 2019?

É sempre uma alegria imensa ser lembrado por aquilo que fizemos com esmero e verdade. Neste caso, em especial, saber que fui selecionado, entre tantos nomes da música brasileira para receber o troféu do renomado Prêmio Grão de Música, é ter a certeza que tudo aquilo que faço com o coração e com a alma pode chegar mais longe e nos levar a sentimentos e felicidades como essa. É uma grande honra fazer parte dessa história. Só tenho a agradecer.

Como foi o processo para chegar a seleção do Grão de Música?

Desde o meu primeiro disco envio o material para a curadoria do prêmio, pois sempre acreditei no trabalho. Neste ano, já com o segundo disco, tenho a honra então de ser um dos escolhidos a receber o troféu pela minha obra, o que me deixa mais feliz ainda em saber que o que está sendo levado em consideração é a obra por inteiro e não apenas uma música (Que já seria uma lindeza imensa). Mas é muito mais gratificante saber que é pelo todo.

Como estão os preparativos para o terceiro disco?

 

Ultimamente venho compondo muito, isso me dá vontade de já correr para o estúdio. A ideia é que em 2020 entramos em estúdio para gravar o terceiro álbum. Outra das motivações a compor é que tenho recebido algumas letras de novos letristas do país e outros que já são parceiros, isso também nos aguça a dar vida a essas palavras, e então a produção não para.

Quais as novidades da carreira, e o que vem pela frente?

As novidades não param porque a gente não para de correr atrás, não é? (risos). Então, para os próximos meses, devemos lançar mais um novo single com vídeo gravado no Rio. Também começaremos os preparativos para o novo CD, devemos passar algum tempo entre São Paulo e Blumenau, direcionando a carreira por lá, com shows, ações e negociações, e para o segundo semestre do ano que vem estão nos planos uma turnê internacional.

Depois de dois discos em cinco anos de carreira solo, o que mudou nos desejos do artista John Mueller?

Os desejos sempre serão os mesmos “música na veia” compor, gravar discos, singles, vídeos e etc. (Risos). O que muda são as estratégias. Para onde levar essa música? E como chegar no público no momento em que as pessoas estão sendo bombardeadas de informações o tempo todo. A ideia é rodar o mundo, encontrando pessoas que têm afinidade com o tipo de música que faço, crescer e me dedicar ainda mais para o meu nicho de fãs, fazer shows com qualidade nas casas e festivais que concebem o meu estilo de música, sem precisar me moldar ao mercado, e sim procurar o meu mercado (que tem, e é muito bom) só falta cada dia mais focar nele e ser feliz.

Você fala em seus shows para o artista seguir a sua verdade, qual a verdade do John Mueller?

É a música que faço da alma, do coração, sem me preocupar com formulas, refrãos e etc. Isso não quer dizer que minha música não poderá ter refrão, não é isso, mas tem que vir naturalmente sem ter essa preocupação, aliás penso que está aí uma boa síntese da resposta (sem preocupação, isso é verdade). Faça aquilo que te toca profundamente que daí o impacto, tenho certeza será maior. Primeiramente quando componho eu tenho que ser o primeiro a gostar, se isso for bom para mim, continuo, caso contrário apago e começo do início.

Hobby: Shows

Lugar Inesquecível: Costa Rica

Música: Brasileira

Mania: Querer tudo ao mesmo tempo

Filme: O Nome da Rosa

Luxo: Participação de João Bosco no meu disco.

Signo: Aquário

Não vive sem: Música

Sonho: Fazer shows no mundo inteiro

Caos: Governo atual

Cultura: Identidade de um povo

Comida preferida: Carne

Cidade que moraria: Ouro Preto

Em quem se inspira: João Bosco

Livro: Cem Anos de Solidão

Futuro: Sempre com saúde para vivê-lo

Conselho: Nunca desista dos seus sonhos. NUNCA (risos)

 

Frase pra vida: Jamais antecipe com o pensamento o que só a experiência pode lhe ensinar.

FONTE: POR FERNANDA NASSER

FOTO: SAMUEL DE OLIVEIRAFERNANDA.NASSER@SOMOSNSC.COFERNANDA.NASSER@SOMOSNSC.CO

COMENTÁRIOS