"Fecho os olhos e vejo os bandidos na minha frente", diz refém de assalto em Blumenau
01/10/2019 11:00 em POLÍCIA

Cinco criminosos invadiram uma casa na Itoupava Central em busca de dinheiro no domingo à noite.

A tarde desta segunda-feira (30) foi diferente em uma casa no bairro Itoupava Central, na região Norte de Blumenau. Pedreiros trabalhavam no conserto das portas arrombadas por criminosos na noite de domingo. Era por volta das 21h quando cinco homens armados, divididos em dois grupos, invadiram a residência. O proprietário, um empresário de 54 anos, não estava no local no momento do crime, mas ele conta que a mãe, esposa, filhos, genro e nora viveram momentos de terror.

– Eles vieram pelo mato, nos fundos, dá para ver as marcas no chão. Entraram pelos dois lados e começaram a pedir o dinheiro. Só que não tinha nada aqui em casa, estava comigo. Mas eles não acreditaram e reviraram tudo – relata o homem.

Parte da família foi presa em um dos banheiros da residência. Os criminosos levaram a chave junto quando deixaram o local. Outros dois casais foram amarrados nos pés e nas mãos e trancados nos quartos. Toda a ação durou quase duas horas. Sem encontrar o malote que buscavam, os homens fugiram levando o dinheiro das carteiras das vítimas, em torno de R$ 750.

 

– Essa é terceira vez que somos assaltados. Precisa de mais segurança – defende o proprietário da casa.

Portas foram arrombadas e a família amarrada

Portas foram arrombadas e a família amarrada (Foto: Patrick Rodrigues)

A mãe do empresário tem 73 anos. Ela foi a primeira a ver os criminosos. A idosa estava na cozinha preparando um lanche quando o primeiro homem, armado e com capuz, entrou. A mulher chegou a questionar se era uma brincadeira, mas logo entendeu se tratar de um assalto. Na sequência, apareceram os demais criminosos e renderam toda a família.

Fecho os olhos e vejo os bandidos na minha frente – conta a mulher.

Ela é a única das vítimas que não foi à polícia na tarde desta segunda-feira (30) para prestar depoimento. Muito abalada e com a saúde frágil, ficou em casa para se recuperar. Ainda assim, não esconde o medo de ficar dentro da residência vasculhada pelos homens.

Com uma das braçadeiras usadas pelos assaltantes para prender a família nas mãos, um vizinho fala do susto que levou ao ver o filho do empresário batendo na porta, por volta das 23h de domingo. O rapaz conseguiu se soltar e buscou ajuda, pois os telefones da família foram levados pelos criminosos.

– Se a gente é empresário e trabalha com dinheiro, fica sujeito a ser assaltado. Eles sabiam que eu tinha trabalhado no fim de semana, estavam procurando o malote (com dinheiro). O tempo todo falavam o meu nome. Agora tem de reforçar a segurança para dar mais tranquilidade à família – avalia o empresário.

FONTE: FOTO: Patrick Rodrigues

Por Talita Catie talita.medeiros@somosnsc.com.br

COMENTÁRIOS