Após casos de racismo, blumenauense renuncia presidência de associação nacional de cervejas
03/09/2020 14:45 em NOTÍCIAS

Carlo Lapolli negou qualquer participação nas declarações preconceituosas.

No último domingo, 30, uma reportagem do Fantástico, da Rede Globo, revelou casos de racismo e machismo envolvendo um grupo de WhatsApp de cervejeiros artesanais, chamado “Cervejeiros Illuminati”. A situação foi imediatamente relacionada à Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), já que muitos dos integrantes desse grupo participam da entidade. Essa situação fez o blumenauense Carlo Lapolli renunciar ao cargo de presidente da entidade dias depois.

Segundo a reportagem do Fantástico, as declarações vazadas foram direcionadas à Sara Araújo, uma mulher negra, que é sommelier de cervejas e dias antes havia ministrado uma palestra sobre o tema.

 

Entre as mensagens haviam dizeres como “Ela deve transar com lésbicas negras“, “Não sabe que quando negro fica rico deixa de ser negro e vira exceção?“, “Pela troca de experiência com uma Negra? Quero. Não tenho nojinho. Doug vai dizer que elas têm aroma de cimento Portland“.

Reprodução: Fantástico / Rede Globo

O grupo não era da Abracerva. Mas, por vários membros fazerem parte da entidade, a ligação entre as denúncias com a associação foi inevitável. E esse foi um dos principais motivos para o blumenauense Carlo Lapolli renunciar ao cargo de presidente da entidade nesta semana.

O agora ex-presidente afirmou à reportagem do jornal O Município Blumenau que condena qualquer tipo de declaração racista, machista ou xenófoba, e destacou que não fazia mais parte do grupo quando as mensagens foram enviadas.

“Confesso que quando participava até fiz comentários de baixo calão sobre fotos de mulheres e me arrependo muito, sei que errei. Mas nunca direcionado a alguma pessoa específica, ou relacionado a racismo, ou como essas que foram mostradas. Essas mensagens eu condeno muito. Ando estudando sobre racismo, principalmente o estrutural e essas declarações são inaceitáveis e não quero que algo dito por outras pessoas sejam relacionados a mim”, contou Lapolli.

“Saí do grupo uns 30 dias antes dessas mensagens, até porque não concordava com alguns conteúdos que tinham. Aliás, fui até atacado por ter criado um núcleo de diversidade na associação”, complementou ele.

Presidente Interina é uma mulher

Lapolli voltou a citar o Núcleo de Diversidade da Abracerva, ao afirmar que ele foi criado para dar mais abertura as chamadas minorias. Segundo ele, é perceptível que o mercado cervejeiro nacional é formado por uma ampla maioria de homens brancos e héteros e que por isso, há necessidade de uma abertura maior.

 

Ainda de acordo com Lapolli, a saída dele – juntamente com a diretoria que também renunciou – reforça essa representatividade. Isso porque a Coordenadora do Núcleo de Diversidade, Nadhine França assume a presidência e foi indicada pelo ex-presidente para conduzir as novas eleições, marcadas para o dia 15 de outubro.

FONTE: O MUNICÍPIO BLUMENAU     

 FOTO: DIVULGAÇÃO/ABRACERVA

COMENTÁRIOS